Letras atiradas ao acaso saídas de uma Caixinha de Pandora
Domingo, 7 de Outubro de 2007
Uma Sombra


Uma vez por semana percorria o mesmo caminho. Houvera tempos em que o percorrera quase todos os dias. Passava por uma rua onde se destacava uma luxuosa boutique, cujos modelos despertavam os sentidos e aguçavam a imaginação daqueles que admiravam a montra.

Mais à frente passava pela padaria, onde a padeira gorda e bonacheirona, retribuía prazenteira os bons dias aos transeuntes. Aos poucos todos os troços do caminho iam ganhando vida, enchendo-se de gente num incessante corre-corre. O leiteiro, o carteiro, a peixeira, os donos da loja em frente aos correios, todos retomavam as suas rotinas. No entanto, ao fazê-lo, nos seus gestos, nas suas expressões, todos vislumbravam uma sombra de felicidade, prestando culto ao seu viver.

Como ela gostaria de fazer parte integrante desse quadro, que lhe avivava as mais diversas recordações. Quase à saída da vila, mudava de caminho, tomava um atalho e toda a paisagem mudava. O amontoado de casas, fervilhante de gente, agitação e barulho, dava agora lugar a uma paisagem onde as árvores eram a vida, e o silêncio quase inviolável.

Na floresta apenas ecoavam o barulho da cascata, numa melodia interminável e os trinados dos pássaros, que pareciam acompanhá-la com a sua canção.

Era aquele o seu passeio favorito. Caminhara todo o dia calmamente, como se quisesse absorver toda aquela vida.

O sol estava-se a pôr, em breve toda aquela magia desapareceria. Começava a escurecer, tinha que regressar. Apressou o passo. Não podia chegar atrasada, se o fizesse, o Guardião zangar-se-ia e seria proibida de dar o seu passeio por muito tempo. Tornou a apressar o passo contrariada. Tinha que regressar ao que era agora a sua morada, àquele cemitério enfadonho!

1988


Sopa servida Alfa às 02:36
Receita da sopa | Meta a colher | Esta sopa é deliciosa
|

4 comentários:
De Lua de Sol a 10 de Outubro de 2007 às 16:16
O final está fabuloso, dá um sentido magnífico ao texto. Adorei, apanhou-me desprevenida, não estava à espera da sua condição de finada!!!!

Beijos


De Alfa a 12 de Outubro de 2007 às 17:15
Como podes verificar já foi escrito há uns anitos. É também um dos meus muitos estilos. Fico contente que o final apanhe as pessoas desprevenidas , foi escrito com essa intenção.

obrigada por não te esquecer deste cantinho.
beijinhos


De daplanicie a 13 de Outubro de 2007 às 09:58
Estou definitivamente cativada. Adoro a forma como escreve. Se não se importa, mesmo sem convite, passarei a visitar a sua "casa" sempre que me for possível!
Cumprimentos


De Alfa a 15 de Outubro de 2007 às 01:34
Obrigada sinto-me lisonjeada por ter gostado da minha sopa de letras, meta a colher sempre que quiser.


Comentar post

Quem é a cozinheira?
Procure no Caldeirão
 
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
29
30
31


A sair do Caldeirão

Partiste

Palácio de Estrelas.

Uma Amiga especial

Top 5 de Verão!

Provérbio chinês

Para o ano 2012

Reflexão

desabafo um pouco mal edu...

Uma vida banal

Tesouros Valiosos

Entre a atracção e a razã...

In memoriam a um grande a...

Vai um café com leite par...

Sonhos

O 25 de Abril explicado à...

A arte de Dali que afinal...

Um estranho dia…

A Girafa Constipada

Um novo capítulo

O espelho da vida

As linhas que nunca foram...

Uma carta do passado.

Uma nova estrela no firma...

Fragmentos I - TARDES DE ...

Apenas em doze meses…

Feliz ano novo

Feliz Natal

Infielmente Fiel

Um Domingo diferente.

Chapéu Violeta

Sopas Servidas

Dezembro 2015

Agosto 2013

Julho 2013

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

tags

25 de abril

abandono

amor

anedota

aniversário

aniversário da bárbara

ano novo

aulas

aviso importante

avó

beijos

bem

bens materiais

borracha

carta

celebração

citaçõesguerra dos sexos

colecções

conto

conto ficção fábrica de histórias

conto infantil

conversa

coração dividido

crianças

cruz vermelha

dali pps arte ignorância

desafio

desejos

desemprego

desilusão

dia da mãe

dias normais

domingo

escrever

espelho

esquecer

euro 2004

euro 2008

fábrica de de histórias

fábrica de histórias

faca de dois gumes

falar

faxina

feliz natal

ficção

ficcção

força

futebl

guerra

história

história para crianças

história.

homenagem

homenagem acidentes de viação

humor

inocência

inspira-me

jogo

láis

lendas

liberdade

lmbra

mal

mar

memória

moldura

mulher

olhão

paixão

palavra

parabéns

pescadores

poder

poema

poesia

professora

quadra

refelexões

reflexão

rocha

sátira

saudades

sedução

segredos

sexo

tampax

tempo

traição

vela

velhice

velhice rétrarto

vida

violência

violência doméstica

todas as tags

As sopas mais saborosas

Sabor a azul do Céu...

Para que serve uma relaçã...

Um novo capítulo

Dias normais?

Dia de Faxina

Estarás sempre no meu cor...

Beijo melhor do que cozin...

O Erro do poeta

Coisas de Anjo

A Força da Chama

Meto a colher em
O Meu blog de Mamã
Crónicas de uma Mãe Atrapalhada
É Urgente olhar
logo da campanha Por Darfur
O Rádio da Sopa De Letras




a comer sopa
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds