Letras atiradas ao acaso saídas de uma Caixinha de Pandora
Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008
CARTA DE AGRADECIMENTO

CARTA DE AGRADECIMENTO
Logo depois de ter lido aqueles documentos sobre a avaliação dos professores, pensei
como lhe deveria agradecer, Srª Ministra. Afinal, aquelas horas passadas diariamente junto do
meu filho a verificar se os cadernos e as fichas estavam bem organizados, a preparar a mochila
e as matérias a estudar para o dia seguinte, a folhear a caderneta escolar, a analisar e a assinar
os trabalhos e os testes realizados nas muitas disciplinas, a curar a inflamação de uma
garganta dorida pela voz de comando “Vai estudar!” ou pela frase insistentemente repetida,
de 2ª a 6ª feira:”DESPACHA-TE! AINDA CHEGAS ATRASADO!” ou o incómodo e o tempo
perdido para o levar diariamente à Escola, percorrendo, mais cedo do que seria necessário, um
caminho contrário àquele que me conduziria ao meu emprego, tinham finalmente, os seus
dias contados. Doravante, essa responsabilidade passaria para a Escola e, individualmente,
para cada um dos seus professores. Finalmente, poderei ir ao cinema, dar dois dedos de
conversa no Café do Sr. Artur, trocar umas receitinhas com a minha vizinha (está entrevadinha,
coitadinha!) ou acomodar-me deliciosamente no sofá da sala a ver a minha telenovela
brasileira preferida.
O rapaz ainda me alertou para os efeitos das faltas o conduzirem à realização de uma
prova de recuperação. Fiz contas e encolhi os ombros - poupo gasóleo e muitos minutos de
caminho, de tráfego e de ajuntamentos. Afinal, ele até é esperto e, se calhar, na internet,
encontra alguns trabalhos ou testes já feitos… Sempre pode fazer “copy – paste”…
Efectivamente, as provas de recuperação parecem-me a melhor solução para acabar com a
minha asfixia matinal e vespertina. Ontem, a minha vizinha da frente, que tem dois ganapos na
escola do meu, disse-me que, se ele continuar a faltar, o vêm buscar a casa, e que, no próximo
ano lectivo, os professores vão tomar conta deles depois das aulas.
Oiro sobre azul. Obrigada, Srª Ministra. A Senhora é que percebe desta coisa de ser
mãe! A Senhora desculpe a minha ousadia, mas será que também não seria possível fazer uma
lei para os miúdos poderem ficar a dormir na escola? Bastava mandar retirar as mesas e
cadeiras das salas de aula e substituí-las por beliches, à noite. De manhã, era só desmontar e
voltar a arrumar. Têm bar, cantina e até duche. Com jeito, eles ainda aprendiam alguma
coisinha sobre tarefas domésticas, porque, em casa, não os podemos obrigar a fazer nada ou
somos acusados de exploradores do trabalho infantil com a ameaça dos putos ainda poderem
apresentar queixa junto das autoridades policiais.

 

 


recebi do por mail



Sopa servida Alfa às 20:24
Receita da sopa | Meta a colher | Esta sopa é deliciosa
|

Quem é a cozinheira?
Procure no Caldeirão
 
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
29
30
31


A sair do Caldeirão

Partiste

Palácio de Estrelas.

Uma Amiga especial

Top 5 de Verão!

Provérbio chinês

Para o ano 2012

Reflexão

desabafo um pouco mal edu...

Uma vida banal

Tesouros Valiosos

Entre a atracção e a razã...

In memoriam a um grande a...

Vai um café com leite par...

Sonhos

O 25 de Abril explicado à...

A arte de Dali que afinal...

Um estranho dia…

A Girafa Constipada

Um novo capítulo

O espelho da vida

As linhas que nunca foram...

Uma carta do passado.

Uma nova estrela no firma...

Fragmentos I - TARDES DE ...

Apenas em doze meses…

Feliz ano novo

Feliz Natal

Infielmente Fiel

Um Domingo diferente.

Chapéu Violeta

Sopas Servidas

Dezembro 2015

Agosto 2013

Julho 2013

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

tags

25 de abril

abandono

amor

anedota

aniversário

aniversário da bárbara

ano novo

aulas

aviso importante

avó

beijos

bem

bens materiais

borracha

carta

celebração

citaçõesguerra dos sexos

colecções

conto

conto ficção fábrica de histórias

conto infantil

conversa

coração dividido

crianças

cruz vermelha

dali pps arte ignorância

desafio

desejos

desemprego

desilusão

dia da mãe

dias normais

domingo

escrever

espelho

esquecer

euro 2004

euro 2008

fábrica de de histórias

fábrica de histórias

faca de dois gumes

falar

faxina

feliz natal

ficção

ficcção

força

futebl

guerra

história

história para crianças

história.

homenagem

homenagem acidentes de viação

humor

inocência

inspira-me

jogo

láis

lendas

liberdade

lmbra

mal

mar

memória

moldura

mulher

olhão

paixão

palavra

parabéns

pescadores

poder

poema

poesia

professora

quadra

refelexões

reflexão

rocha

sátira

saudades

sedução

segredos

sexo

tampax

tempo

traição

vela

velhice

velhice rétrarto

vida

violência

violência doméstica

todas as tags

As sopas mais saborosas

Sabor a azul do Céu...

Para que serve uma relaçã...

Um novo capítulo

Dias normais?

Dia de Faxina

Estarás sempre no meu cor...

Beijo melhor do que cozin...

O Erro do poeta

Coisas de Anjo

A Força da Chama

Meto a colher em
O Meu blog de Mamã
Crónicas de uma Mãe Atrapalhada
É Urgente olhar
logo da campanha Por Darfur
O Rádio da Sopa De Letras




a comer sopa
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds