Letras atiradas ao acaso saídas de uma Caixinha de Pandora
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008
A Passageira II parte

No entanto, já não sentia medo ao pensar nela. O arrepio que percorria o seu corpo à sua imagem desaparecera e era substituído por uma sensação de calor, de paz interior. O seu rosto, o seu sorriso não lhe saíam da ideia. Aquele olhar profundo, os olhos grandes e negros, parecendo sorrir também. O cabelo castanho liso, caindo-lhe desalinhado sobre os ombros. A simplicidade, a suavidade da sua voz. Tudo nela era tão belo, tão suave e tão profundo que nada parecia real.

 Comentou o facto do bilhete estranho com a mulher, quando chegou a casa.

- Deve ser cansaço disse ela, e não deu grande importância ao assunto. Mas ele ainda assim ficou a pensar: Bem, hoje é Segunda até Quinta – Feira tenho tempo de ver se é realmente cansaço. Porém, nos dois dias que se seguiram, o incidente repetira-se, só que ele já não lhe dizia nada, quando ia para devolver o bilhete e pedi-lo de novo, hesitava e voltava a vê-lo, e à sua segunda vez , via sempre um bilhete normal de passageira.

Na noite de Quarta para Quinta, levou tempo a adormecer, sem decidir se ia trabalhar ou não. Os pesadelos atormentavam-lhe a noite. Sentia-se a rodopiar dentro do comboio, com o rosto dela à sua volta sussurrando-lhe repetidamente: Lucas não vás trabalhar, não vás trabalhar! Não vás trabalhar…

Acordou a suar, ardia em febre. A sua esposa trazia-lhe um chá.

- Já acordaste? Ainda bem. Não descansaste a noite toda. Falaste toda a noite. Estás com muita febre. Isso é de andares a trabalhar demais, sem folgas, nesta época. Lucas não vás trabalhar, não estás em estado de ir trabalhar. Eu aviso para o teu trabalho. È a primeira vez que faltas em vinte anos!

E Lucas ficou em casa.

Pela primeira vez, desde que aquela mulher tinha surgido no comboio, conseguiu dormir descansado, em paz.

       Eram oito da manhã de Sexta – feira quando a mulher o acordou:

- Lucas acorda, acorda depressa ela chorava e tremia ao mesmo tempo, que se abraçava a ele e o beijava Obrigada Dizia ela Obrigada meu Deus, e a ti sejas quem fores.

- Que estás para aí dizer? Que se passa mulher? - Perguntou-lhe atarantado.

-Ouve – disse ela. Na rádio noticiavam o acidente do comboio da meia-noite, em que Lucas era suposto estar a trabalhar. O comboio tinha descarrilado. Não tinham morrido pessoas, mas muitas estava feridas e em estado grave.

 

- Se não estivesses doente, tinhas ido trabalhar? – Perguntou-lhe a mulher.

- Sim - Respondeu Lucas - Mas quem, sabe se não foi mesmo por isso que adoeci!!!

   No dia seguinte Lucas foi trabalhar com intenção de procurar a mulher e agradecer o aviso, tentando ao mesmo tempo esclarecer o mistério de onde conhecia aquela mulher, e quem ela era. Mas não a viu, nem naquele dia, nem nunca mais.

 
   


Sopa servida Alfa às 14:17
Receita da sopa | Meta a colher | Esta sopa é deliciosa
|

6 comentários:
De Ohayo a 19 de Fevereiro de 2008 às 16:29
Tens um tipo de escrita diferente que gosto muito. Por isso mesmo te atribui o prémio "You make my day".
Obrigada.
Uma Excelente semana!
Beijocas


De Alfa a 21 de Fevereiro de 2008 às 11:52
Obrigada pelas tuas plavras. beijinhos


De lucilia_cunha a 21 de Fevereiro de 2008 às 10:36
Bom dia, é fabuloso percorrer os teus contos, muito bom, beijinhos e boa semana


De Alfa a 21 de Fevereiro de 2008 às 11:54
Obrigada fico contente pelas tuas palavras. Saber que alguém gosta do que escrevo estimula-me acontinuar. beijinhos


De estrelaquebrilha a 22 de Fevereiro de 2008 às 16:54
Sim gostei muito do final, adoro a tua escrita.
bj e bom fds


De Alfa a 28 de Fevereiro de 2008 às 11:05
Espero que continues a gostar.

Beijinhos


Comentar post

Quem é a cozinheira?
Procure no Caldeirão
 
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
29
30
31


A sair do Caldeirão

Partiste

Palácio de Estrelas.

Uma Amiga especial

Top 5 de Verão!

Provérbio chinês

Para o ano 2012

Reflexão

desabafo um pouco mal edu...

Uma vida banal

Tesouros Valiosos

Entre a atracção e a razã...

In memoriam a um grande a...

Vai um café com leite par...

Sonhos

O 25 de Abril explicado à...

A arte de Dali que afinal...

Um estranho dia…

A Girafa Constipada

Um novo capítulo

O espelho da vida

As linhas que nunca foram...

Uma carta do passado.

Uma nova estrela no firma...

Fragmentos I - TARDES DE ...

Apenas em doze meses…

Feliz ano novo

Feliz Natal

Infielmente Fiel

Um Domingo diferente.

Chapéu Violeta

Sopas Servidas

Dezembro 2015

Agosto 2013

Julho 2013

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

tags

25 de abril

abandono

amor

anedota

aniversário

aniversário da bárbara

ano novo

aulas

aviso importante

avó

beijos

bem

bens materiais

borracha

carta

celebração

citaçõesguerra dos sexos

colecções

conto

conto ficção fábrica de histórias

conto infantil

conversa

coração dividido

crianças

cruz vermelha

dali pps arte ignorância

desafio

desejos

desemprego

desilusão

dia da mãe

dias normais

domingo

escrever

espelho

esquecer

euro 2004

euro 2008

fábrica de de histórias

fábrica de histórias

faca de dois gumes

falar

faxina

feliz natal

ficção

ficcção

força

futebl

guerra

história

história para crianças

história.

homenagem

homenagem acidentes de viação

humor

inocência

inspira-me

jogo

láis

lendas

liberdade

lmbra

mal

mar

memória

moldura

mulher

olhão

paixão

palavra

parabéns

pescadores

poder

poema

poesia

professora

quadra

refelexões

reflexão

rocha

sátira

saudades

sedução

segredos

sexo

tampax

tempo

traição

vela

velhice

velhice rétrarto

vida

violência

violência doméstica

todas as tags

As sopas mais saborosas

Sabor a azul do Céu...

Para que serve uma relaçã...

Um novo capítulo

Dias normais?

Dia de Faxina

Estarás sempre no meu cor...

Beijo melhor do que cozin...

O Erro do poeta

Coisas de Anjo

A Força da Chama

Meto a colher em
O Meu blog de Mamã
Crónicas de uma Mãe Atrapalhada
É Urgente olhar
logo da campanha Por Darfur
O Rádio da Sopa De Letras




a comer sopa
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds