Letras atiradas ao acaso saídas de uma Caixinha de Pandora
Sexta-feira, 30 de Novembro de 2007
O Cata-Molas

    

O Cata-molas é um vizinho que tenho por sinal até simpático. Ele e a esposa foram os primeiros vizinhos que eu conheci quando vim para aqui morar. Quando tivemos alguns problemas em relação ao prédio, foi com ele que fui falar e as coisas resolveram-se. Ainda há bem pouco tempo quando resolveram estacionar bem em frente à minha garagem tirando o pouco espaço que tenho de manobra foi ele que, me ajudou a tirar o carro da garagem. E o senhor que é taxista e que por isso deve conduzir melhor que eu, também reconheceu que aquela manobra com o carro ali estacionado é bem difícil. O Cata-molas é até um vizinho simpático e pacífico, quando chega depois de deixar a viatura bem polida, vai cuidar da sua hortinha. Às vezes até cozinha uns grelhados cheirosos na sua garagem. É até uma personagem bonacheirona e até aposto que a sua esposa anda muito satisfeita, pois o senhor é muito poupadinho. De certeza que de vez em quando até deve dar umas prendinhas à esposa, mesmo que essas prendinhas sejam as minhas molas da roupa!

 Pois foi à conta disso que o meu vizinho ganhou este belíssimo cognome da minha parte. É que enquanto estendo a minha roupa, se deixo cair alguma mola, é garantido que o Cata-molas a apanha. O mais engraçado é que ele olha para um lado e para o outro, mas nunca lha para cima para me ver com a minha cara de: “-Oh não a minha molinha, outra vez, não! Nem me dá tempo de as ir buscar. “

 Já pensei dizer: _ Hei vizinho, essa mola que acabei de a deixar cair, não se importa de ma devolver?

   Mas não são sei porquê algo me impede. O pior é que tenho cada vez menos molas. Acho que qualquer dia quando me voltar a cruzar com a esposa, vou ganhar coragem e vou-lhe dizer: Ai, vizinha tem sorte em ter um homem tão poupadinho! Ele não lhe oferece molas todos os dias?

 E esperar que ela faça uma cara de surpresa e perguntar: - Como é que sabe? Para poder responder:

- É simples, o seu marido apanha todas as molas que eu deixo cair enquanto estendo a roupa. Só pode ser um homem poupado...

                                                                                                            


 


sinto-me: a precisar de molas

Sopa servida Alfa às 02:02
Receita da sopa | Meta a colher | Esta sopa é deliciosa
|

5 comentários:
De daplanicie a 30 de Novembro de 2007 às 09:23
Se estivesse no teu lugar pensava nessas molas como uma prendinha que lhe ofereces por ser bom vizinho e comprava umas dúzias de molas para compensar as perdidas. :-)
Beijinhos


De Alfa a 30 de Novembro de 2007 às 14:22
Acho que é mais ou menos isso que faço , já que se não tenho coragem de lhe dizer, também não vou ter de o dizer à esposa.
beijinhos


De FELINO a 30 de Novembro de 2007 às 11:05
Olá
Bem delicioso este texto é mesmo do meu género. Esta maneora de escrever é mesmo muito parecido com o que eu escrevo e o texto está demais ri às gargalhadas.


sabes eu vou-te contar um segredinho é que eu na minha rua sou um Cat-molas mas não vais dizer a ninguém ok

beijos gostei mesmo muito


De Alfa a 30 de Novembro de 2007 às 14:25
poupadinho hein? Já sabes o que te chamaria se fosses meu vizinho.Então não ía a Praga??!!! beijinhos

Mas não vou dizer nada à esposa do cata -molas.. Só que não resisti.


De Lua de Sol a 7 de Dezembro de 2007 às 14:23
Mais valem os vizinhos cata-molas do que alguns que conheço!


Comentar post

Quem é a cozinheira?
Procure no Caldeirão
 
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
29
30
31


A sair do Caldeirão

Partiste

Palácio de Estrelas.

Uma Amiga especial

Top 5 de Verão!

Provérbio chinês

Para o ano 2012

Reflexão

desabafo um pouco mal edu...

Uma vida banal

Tesouros Valiosos

Entre a atracção e a razã...

In memoriam a um grande a...

Vai um café com leite par...

Sonhos

O 25 de Abril explicado à...

A arte de Dali que afinal...

Um estranho dia…

A Girafa Constipada

Um novo capítulo

O espelho da vida

As linhas que nunca foram...

Uma carta do passado.

Uma nova estrela no firma...

Fragmentos I - TARDES DE ...

Apenas em doze meses…

Feliz ano novo

Feliz Natal

Infielmente Fiel

Um Domingo diferente.

Chapéu Violeta

Sopas Servidas

Dezembro 2015

Agosto 2013

Julho 2013

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

tags

25 de abril

abandono

amor

anedota

aniversário

aniversário da bárbara

ano novo

aulas

aviso importante

avó

beijos

bem

bens materiais

borracha

carta

celebração

citaçõesguerra dos sexos

colecções

conto

conto ficção fábrica de histórias

conto infantil

conversa

coração dividido

crianças

cruz vermelha

dali pps arte ignorância

desafio

desejos

desemprego

desilusão

dia da mãe

dias normais

domingo

escrever

espelho

esquecer

euro 2004

euro 2008

fábrica de de histórias

fábrica de histórias

faca de dois gumes

falar

faxina

feliz natal

ficção

ficcção

força

futebl

guerra

história

história para crianças

história.

homenagem

homenagem acidentes de viação

humor

inocência

inspira-me

jogo

láis

lendas

liberdade

lmbra

mal

mar

memória

moldura

mulher

olhão

paixão

palavra

parabéns

pescadores

poder

poema

poesia

professora

quadra

refelexões

reflexão

rocha

sátira

saudades

sedução

segredos

sexo

tampax

tempo

traição

vela

velhice

velhice rétrarto

vida

violência

violência doméstica

todas as tags

As sopas mais saborosas

Sabor a azul do Céu...

Para que serve uma relaçã...

Um novo capítulo

Dias normais?

Dia de Faxina

Estarás sempre no meu cor...

Beijo melhor do que cozin...

O Erro do poeta

Coisas de Anjo

A Força da Chama

Meto a colher em
O Meu blog de Mamã
Crónicas de uma Mãe Atrapalhada
É Urgente olhar
logo da campanha Por Darfur
O Rádio da Sopa De Letras




a comer sopa
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds